• Agende uma consulta

    Para agendar uma consulta para o tratamento que tem interesse, preencha os campos abaixo com seus dados e aguarde o contato e a confirmação da data.

  • Nós ligamos para você

    Caso prefira o atendimento telefônico, nós ligamos para você. Para receber um telefonema de nossos atendentes, preencha os campos abaixo com...

    Caso prefira o atendimento telefônico, nós ligamos para você.
    Para receber um telefonema de nossos atendentes, insira seu telefone e aguarde o contato.

    • 04/06/2014

    Tratamento para mulheres com câncer de mama preserva fertilidade

    Um novo tratamento hormonal ajudou mulheres que sofrem de câncer de mama a preservar melhor sua fertilidade durante a quimioterapia, revela um estudo divulgado nesta sexta-feira, no primeiro dia da conferência anual da American Society of Clinical Oncology (ASCO), em Chicago.

    A quimioterapia traz, entre outros efeitos, um importante risco de provocar uma insuficiência ovariana, ao reduzir a quantidade e a qualidade dos óvulos.
    O estudo clínico - de fase 3 - revela que uma injeção mensal de goserelina (Zoladex) durante a quimioterapia reduz em 64% o risco de falha dos ovários.
    Ao bloquear a produção dos estrógenos, o tratamento provoca uma menopausa temporária e preserva muito melhor a fertilidade da paciente.

    Apenas 8% das mulheres que receberam uma injeção mensal deste hormônio apresentaram falha ovariana, contra 22% do grupo-controle.
    As pacientes submetidas ao tratamento com goserelina também tiveram duas vezes mais possibilidades de desenvolver uma gravidez normal após concluir a quimioterapia em relação ao grupo que não recebeu o tratamento hormonal, segundo os pesquisadores.

    "Preservar sua fertilidade é um objetivo e uma preocupação importante para as jovens mulheres diagnosticadas com câncer de mama e os resultados deste teste clínico oferecem uma alternativa simples e nova, que poderá ser aplicada a outros tipos de câncer", destacou a doutora Halle Moore, principal autora do estudo .

    "Não apenas a goserelina se revela muito segura, como também é eficaz na medida em que o tratamento aumenta a probabilidade de gravidez e de dar à luz um bebê saudável após a quimioterapia".

    A pesquisa revelou ainda que as pacientes tratadas com goserelina têm 50% mais possibilidades de estar com vida quatro anos após o diagnóstico em relação ao grupo-controle.

    O estudo analisou 257 mulheres ainda não menopáusicas com câncer de mama e receptores hormonais negativos.

    Fonte: Agence France Presse