• Agende uma consulta

    Para agendar uma consulta para o tratamento que tem interesse, preencha os campos abaixo com seus dados e aguarde o contato e a confirmação da data.

  • Nós ligamos para você

    Caso prefira o atendimento telefônico, nós ligamos para você. Para receber um telefonema de nossos atendentes, preencha os campos abaixo com...

    Caso prefira o atendimento telefônico, nós ligamos para você.
    Para receber um telefonema de nossos atendentes, insira seu telefone e aguarde o contato.

    • 20/04/2016

    Ovário e óvulos: saúde e complicações

     É extremamente importante que toda mulher faça acompanhamento da saúde de seus ovários e, portanto, de seus óvulos também. Algumas condições, todavia, fazem parte do desenvolvimento natural do sistema reprodutivo feminino, o que afeta a condição e a fertilidade da mulher. Genética e fatores externos podem influenciar também.

    Idade


    Diferentemente dos homens, que produzem espermatozoides ao longo de toda a vida, as mulheres nascem com uma quantidade limitada de gametas e não produzem óvulos ao longo dos anos. Portanto, uma vez que os mesmos óvulos ficam no corpo da mulher do nascimento até a menopausa, eles vão envelhecendo junto à sua portadora.

    Esse é o motivo pelo qual mulheres com idade mais avançada têm dificuldades para engravidar, mesmo enquanto ainda ovulam. Com o passar do tempo, o óvulo vai perdendo algumas de suas propriedades, reduzindo a fertilidade da mulher. Esse é um processo completamente natural e esperado, independentemente de outras condições de saúde.

    Menopausa precoce


    Algumas mulheres estão sujeitas a entrarem na menopausa mais cedo do que outras. Enquanto a maioria passa pela última ovulação no final dos seus 40 anos, início dos 50, uma parcela das mulheres passa por essa experiência ainda aos 30 anos. Na maioria dos casos, a causa é genética e não existe “cura”. De qualquer maneira, ao entrarem na menopausa, mesmo que mais cedo, as mulheres podem recorrer à terapia de reposição hormonal.

    Existem exames, hoje em dia, que preveem o tempo fértil da mulher, ao medir um hormônio que indica a quantidade de óvulos restantes nos ovários. Visto que não existem sintomas que demonstrem com antecedência que a mulher entrará precocemente no período infértil, esse exame costuma ser procurado por quem tem histórico de outras mulheres na família que entraram cedo na menopausa, ou por quem já está no início dos 30 anos e não tem previsão de quando vai engravidar, mas quer poder no futuro.

    Ovários policísticos


    A produção de cistos no ovário faz parte do ciclo menstrual. No entanto, um distúrbio hormonal faz com que haja uma formação maior de cistos e que eles não sejam eliminados, como deveria acontecer.

    A primeira reação é o inchaço do ovário, mas outros sintomas podem aparecer devido ao aumento da produção de testosterona (chamada de hormônio masculino), como oleosidade na pele, crescimento de buço e queda de cabelos. Além disso, o ciclo menstrual fica irregular e a mulher tem muitas dificuldades em conseguir engravidar.

    Geralmente, medicamentos, como pílulas hormonais, conseguem conter o distúrbio e retomar o ciclo hormonal à naturalidade, devolvendo a fertilidade normal da paciente.

    Abuso de substâncias


    Álcool, cigarro e outras substâncias podem comprometer a saúde do sistema reprodutivo feminino. Ovários, óvulos e produção hormonal podem ser afetados, dificultando ou impossibilitando a gravidez.