• Agende uma consulta

    Para agendar uma consulta para o tratamento que tem interesse, preencha os campos abaixo com seus dados e aguarde o contato e a confirmação da data.

  • Nós ligamos para você

    Caso prefira o atendimento telefônico, nós ligamos para você. Para receber um telefonema de nossos atendentes, preencha os campos abaixo com...

    Caso prefira o atendimento telefônico, nós ligamos para você.
    Para receber um telefonema de nossos atendentes, insira seu telefone e aguarde o contato.

    • 27/04/2016

    O que é a menopausa e o que ela causa no corpo feminino

     A menopausa ainda é temida por muitas mulheres. Hoje em dia, no entanto, não há muitos motivos de preocupação se você tiver acesso a bons tratamentos e acompanhamentos de saúde. Mesmo assim, ainda existe muita desinformação e é comum confundirem-se um pouco em relação a termos, causas e consequências.

    Na publicação de hoje, portanto, vamos tentar esclarecer alguns pontos e, quem sabe, sanar algumas das suas dúvidas.

    A menopausa

    Muito se diz sobre o que é a menopausa e o termo vem sendo usado de maneira generalizada, para facilitar a compreensão. Contudo, a menopausa de fato é a última menstruação da mulher; é esse único evento, que demarca o fim do período fértil da mulher e esse momento de transição.

    É comum referirem-se à menopausa como todo o período pré e pós a última menstruação, pois é o momento em que o corpo começa a reduzir a produção de hormônios, chamados de femininos, como a progesterona e o estrogênio.

    Pré-menopausa

    A fase em que a mulher, mesmo ainda ovulando, já não é mais considerada fértil e apresenta alterações hormonais é chamada de pré-menopausa, pois antecede a última menstruação.

    É já nesse momento que começam aparecer os primeiros sintomas relacionados à menopausa, como ondas de calor, irregularidades no ciclo menstrual, dores de cabeça e redução da libido.

    Ainda nessa fase, não é recomendada a famosa terapia de reposição hormonal, que pode começar a ser feita após a menopausa.

    Pós-menopausa

    Uma vez que o corpo já não tem mais óvulos, o organismo entra na pós-menopausa e entende que deve reduzir a produção dos hormônios ligados à reprodução, visto que a mulher atingiu a infertilidade.

    Os sintomas já citados se intensificam. A principal reclamação costuma ser as ondas de calor, conhecidas como fogacho. Esse sintoma é causado justamente pela redução de estrogênio no corpo, que é o responsável por regular a temperatura no organismo. Junto às ondas, vêm também os suores noturnos, que podem se tornar em grandes incômodos. Alterações de humor, bem como disfunções psicológicas, também são reportadas. Cabelo, unhas e pele também costumam sentir a falta dos hormônios.

    Todavia, já nesse momento é possível iniciar tratamentos que contêm esses sintomas e devolvem a qualidade de vida para as mulheres.

    Climatério

    Muitas vezes confundido com o fogacho, por conta do seu nome, o climatério nada mais é do que uma denominação para esse período que toda mulher vive. Ele engloba todo essa fase de transição, da pré-menopausa, passando pela menopausa e chegando ao momento pós. É uma nomenclatura que ajuda em estudos e tratamentos.

    Convivendo com a menopausa

    Todo e qualquer hormônio é muito importante para o funcionamento do corpo humano. Eles são responsáveis por regular diversos aspectos do organismo e servem também como gatilho para várias ações. Isso quer dizer que uma vez que eles começam a sair um pouco de cena, é completamente natural que a mulher sinta essa mudança e tenha dificuldades de se adaptar.

    Mesmo podendo recorrer a tratamentos, é importante que já no início do climatério sejam cultivados hábitos saudáveis que vão ajudar a regular seu organismo. Prática de exercícios físicos ajuda a fortalecer os músculos, que começam a enfraquecer; da mesma forma, consumo de alimentos ricos em cálcio e banhos de sol – para a vitamina D – ajudam no fortalecimento dos ossos. Beber sempre muita água é essencial para manter o corpo hidratado nesse momento em que os suores aumentam, além de ajudar a conter as ondas de calor.